Atacante do Guaraní, Ortigoza analisa amistoso contra o Athletico

O Guaraní, adversário do Athletico em amistoso nesta quarta-feira, é o quarto título com mais títulos do futebol paraguaio. O Legendário tem 11 títulos do campeonato nacional e é o atual campeão da Copa Paraguai. O duelo está marcado para 19h30 desta quarta, na Arena da Baixada. Confira um raio-X da equipe de Gustavo Florentín.

Escalação

O Guaraní deve manter a base das últimas partidas do Campeonato Paraguaio. A equipe é a terceira colocada, com 12 pontos - atrás apenas de Olimpia e Cerro Porteño. Um provável Legendários para o duelo desta quarta tem Víctor Centurión; De La Cruz, Alexis Villalba, Cabral e Miguel Benítez; Jorge Morel, Rodrigo Fernández e Jorge Mendoza; Gamarra e Contrera (Aquino); Ortigoza (Leiva ou Epifanio).

Calendário e destaque

O Guaraní, fundado em 1903, é de Assunção. Em 2019, além do campeonato nacional, ele disputará a Sul-Americana. O adversário da primeira fase será o colombiano Deportivo Cali - as partidas serão em 4 de abril e 2 de maio. Um dos poucos jogadores conhecidos do futebol brasileiro - talvez o único - é o atacante Ortigoza, ex-Náutico e Paraná Clube. Através da assessoria de imprensa, Ortigoza fala sobre a importância do amistoso e analisa o Athletico.

- É um time que está sempre brigando pelo campeonato no Paraguai. É, talvez, o terceiro time mais grande, atrás do Olímpia e do Cerro. Esse amistoso sempre é importante no campo internacional, já que a gente vai jogar a Sul-Americana daqui a um mês. É importante jogar contra El Paranaense, que foi campeão no ano passado. Conheço aqui, mas todo mundo já sabe que foi campeão, que tem bom time e que joga em um campo diferente. Então, vai ser um bom amistoso - falou Ortigoza.

Confira a análise de Papi Díaz, do Tigo Sports

"Diferente do ano passado, o Guaraní fortaleceu seu sistema ofensivo com a chegada principalmente de José Ortigoza e Marcelo González. O atacante ex-Náutico deu maior peso ao ataque do "Legendário" com sua experiência e seu poder de finalização, enquanto Marcelo González soube suprir de grande maneira a saída do atacante argentino Gabriel Esparza, que foi um dos pilares da equipe campeão da Copa Paraguai.

 

Gustavo Florentín costuma usar um 4-5-1, com Ortigoza na frente e Rodney Redes e Rodolfo Gamarra pelas pontas. O 4-5-1 pode virar um 4-3-3 na hora de atacar. O ponto forte é o meio-campo. O uruguaio Rodrigo Fernández conquistou um lugar graças à versatilidade e ao bom trato com a bola. Jorge Mendoza ajuda a marcação, permitindo que Ramón Martínez saia mais e acompanhe o ataque.

Apesar de Marcelo González até agora não ser titular indiscutível, suas entradas pela ponta renderam vários gols ao Guaraní: Marcelo tem dois gols no campeonato, além de desequilibrar pelos lados. A defesa talvez seja o ponto mais vulnerável da equipe de Florentín. Mas, apesar disso, é uma das equipes que menos tem sofrido gols, grande parte graças à atuação do goleiro Víctor Centurión".